a estrada

Fundada em 2015, em Florianópolis, a imersão a um universo psíquico é o norte da estilista Raiana Pires em sua marca de roupas, a Psicotrópica. Permeada pelo slow fashion, a moda da etiqueta é estampar a loucura e personalidade intrínseca de cada um por meio de suas criações artesanais, feitas em pequena escala e, sobretudo, psicotrópicas – onde a moda interliga-se com a arte.

Fruto de uma experiência pessoal no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), a grife surge para desbravar a beleza e liberdade que habitam em meio aos transtornos mentais humanos. Para Raiana, a utilização de desenhos diversos, formas geométricas e ampla paleta de cores no processo criativo materializa a proposta da marca em sua essência, cujas estampas autorais são elaboradas manualmente pelos pacientes-artistas da Rede de Saúde Mental.

Com o propósito de externalizar a loucura de maneira diferente – sendo a estampa uma forma ímpar de expressão do universo interior e carro-chefe da etiqueta –, a estamparia e linguagem visual apurada presentes em vestidos, saias, kimonos, e, especialmente, nas camisas, carregam sensibilidade e muita história para contar.